• SEEB Juazeiro

SBBA e Feebbase debatem adoecimento mental e condições de trabalho com a Caixa



Um problema que toma dimensões preocupantes na Caixa e que a Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, o Sindicato dos Bancários da Bahia e a AGECEF/BA têm lutado para acabar é adoecimento mental dos empregados. Para tratar sobre o tema e sobre condições de trabalho, diretores das entidades estiveram em reunião, nesta quinta-feira (23/09), através de videoconferência, com o Superintendente de Rede, Diego Carraro e o Gerente de Rede, Diogo Mascarenhas Ribeiro, ambos da Superintendência Norte e Sul da Bahia.

A cobrança exagerada de metas e o consequente aumento dos problemas de saúde mental dos trabalhadores nortearam os debates. Sobretudo, no momento de pandemia e de crise institucional. Faz ainda mais sentido, um olhar humanizado aos empregados, que devem ser valorizados pelos esforços sobrenaturais em meio às crises sanitária e institucional que o país atravessa.

No entanto, a Caixa faz justamente o contrário, elevando o número de adoecimentos. Há diversos relatos de trabalhadores com depressão, síndrome de burnout, que fazem uso contínuo de remédio controlado em decorrência cobrança exagerada pelo cumprimento de metas e resultados.

O secretário geral da Feeb, Emanoel Souza, enfatizou a importância de ter um diálogo franco e transparente com os gestores. Mas, fez questão de salientar que a forma como as cobranças são realizadas é desumana. "Todos nós defendemos uma Caixa que dê resultados sustentáveis e seja eficiente. No entanto, a forma como a cobrança por metas acontece é cruel e eleva o índice de adoecimento. Não podemos aceitar", acrescentou.

Participaram da reunião, além de Emanoel Souza, o diretor da Feeb, Sâmio Cássio, o presidente da AGECEF/BA, Carlos Alberto Costa, o superintendente regional, Diego Carrara e o gerente de rede, Diego Mascarenhas Ribeiro.


Fonte: FEEB.

7 visualizações

Busca

Outras Notícias