• SEEB Juazeiro

Fenaban mostra interesse em colocar o teletrabalho na CCT



O Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos bancs (Fenaban) voltaram a se encontrar na tarde desta terça-feira (26/7), para a quarta rodada de negociação da campanha salarial 2022, que teve como tema central o teletrabalho.

Na reunião, o Comando apresentou o resultado da Consulta Nacional, na qual 91% dos participantes respondeu que a regulação do teletrababalho deveria ser feita de forma coletiva, entre bancos e sindicatos, como parte da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria.

Os dirigentes sindicais, defenderam também o pagamento de uma ajuda de custo para quem está em home office. Hoje alguns bancos não pagam esta ajuda e transfere todos os custos para o bancário. Um absurdo. Outra cobrança importante é o controle da jornada, para que o trabalhador não fique à mercê de seus gestores, à noite, fins de semana e feriados.

Os sindicatos também não vão abrir mão do acesso aos trabalhadores que estão em home office, para acompanhar de perto se seus direitos estão sendo respeitados.

Em resposta, a Fenaban informou que atualmente 31,4 % da categoria está totalmente em home office e se mostrou interessada em incluir as questões envolvendo o teletrabalho na CCT dos bancários.

O Comando avalia essa disposição como um avanço e vai continuar o debate do tema com a Fenaban em outro momento, para chegar a um acordo que atenda aos interesses dos trabalhadores.

Demissões

Outro tema discutido na negociação desta terça-feira foi o corte de postos de trabalho no setor, apesar do aumento na lucratividade dos bancos. O Comando reivindicou ainda a volta da homologação das demissões nos sindicatos, como acontecia antes da reforma trabalhista.

Segundo o presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Hermelino Neto, que participa das negociações, neste ponto, a Fenaban foi bastante agressiva com o Comando, reclamando que existe um número elevado de reintegrações na categoria.

“Nos posicionamos de forma contundente contra isso, reafirmando que é papel do movimento sindical defender a categoria, acolher, examinar e orientar o trabalhador e que nós não vamos abrir mão deste direito. Eles querem transformar as vítimas em culpados. Veja só, o bancário é demitido e os bancos não querem que o sindicato ajude e oriente o trabalhador. Isso é o fim do mundo”, ressaltou o presidente da Feebbase.

O Comando aproveitou o debate sobre o teletrabalho, para a defender a redução da jornada dos bancários para quatro dias na semana, como forma de diminuir o adoecimento da categoria.

Além do presidente da Feebbase, participaram também da negociação o diretor do Sindicato da Bahia Elder Perez e a diretora do Sindicato de Sergipe Helaine Evangelista. Fonte: FEEB

2 visualizações

Busca

Outras Notícias

insta.png
INSTAGRAM