• SEEB Juazeiro

Crescem resgates de trabalho doméstico escravo



Geralmente, o trabalho análogo à escravidão se caracteriza pelos resgates em áreas rurais, assim como em obras de construção civil e confecções nas cidades. No entanto, as operações de fiscalização têm encontrado cada vez mais em casas de famílias. Ou seja, pessoas resgatadas da escravidão como domésticos.

Dos 1.937 trabalhadores em situação análoga à escravidão encontradas no ano passado, 27 foram no serviço doméstico. Segundo a SIT (Secretaria de Inspeção do Trabalho), do Ministério do Trabalho e Previdência, em 2020, foram três ocorrências.

Normalmente as famílias pegam meninas no início da adolescência para criar, oferecendo oportunidade de estudo que nunca dão. As jovens acabam exercendo atividades de cuidado diariamente, sem controle de jornada, sem finais de semana de folga, férias ou recebimento de salário. Verdadeira escravidão.

Em 2015, as domésticas conseguiram a aprovação de uma lei que garante equivalência de direitos em relação aos demais trabalhadores. Mas, o caminho é longo. A Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua mais recente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostra que 4,247 milhões (76%) dos 5,609 milhões de empregados no setor doméstico não têm carteira assinada.

Fonte: Bancários Bahia

0 visualização

Busca

Outras Notícias

insta.png
INSTAGRAM