top of page
  • SEEB Juazeiro

CEE Caixa recusa proposta sobre banco de horas



A Caixa insistiu em condicionar o acordo de teletrabalho à criação de banco de horas para funcionários que trabalham presencialmente. Em mesa de negociação, nesta terça-feira (23/08), a CEE (Comissão Executiva dos Empregados) reiterou a recusa, já que o impasse já havia acontecido na rodada do último dia 16.

O que a Caixa precisa fazer é contratar para reduzir a sobrecarga e evitar que os empregados tenham a necessidade de trabalhar fora do horário. De 2015 a 2020, o banco perdeu 14.866 postos de trabalho, já o número de clientes aumentou em 65%. A conta não fecha.

As negociações sobre o teletrabalho foram interrompidas e serão retomadas em outro momento. Presente na reunião, o secretário geral da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Emanoel Souza, lembrou que “em negociações realizadas anteriormente, ficou combinado que não seria criado banco de horas. Quem está no presencial deve receber pelas horas trabalhadas a mais”.

A reivindicação da CEE é que os empregados que exercem as funções em regime de teletrabalho tenham os mesmos direitos dos trabalhadores que estão em modo presencial, como registro de ponto, remuneração das horas extras, além das garantias previstas na minuta entregue à Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), com ajuda de custo pelos gastos (energia, internet, água, etc.) hoje assumidos pelos trabalhadores.

Uso político A CEE ainda denunciou a presidenta da Caixa, Daniella Marques, de uso dos empregados para fazer campanha eleitoral para o presidente Jair Bolsonaro. Os trabalhadores estão sendo assediados a enviar liberação do uso de imagem para a campanha. Fonte: Bancários Bahia

0 visualização

Busca

Outras Notícias

insta.png
INSTAGRAM
bottom of page