• SEEB Juazeiro

Assédio moral coletivo da Caixa vira denúncia no MPT



É inadmissível o comportamento da Caixa. De acordo com a própria direção, para participar do evento “Nação Caixa 2021”, o banco utilizou critérios baseados em meritocracia, distinguindo milhares de funcionários. A prática é proibida pela CCT (Convenção Coletiva do Trabalho). Por isso, a representação dos trabalhadores ingressou com uma queixa no MPT (Ministério Público do Trabalho) por assédio moral coletivo contra a empresa.

O evento, que reuniu empregados, empresários lotéricos e correspondentes do banco, estabeleceu uma forma de ranking, escolhendo somente os trabalhadores que se destacaram em 2021. A prática desrespeita os direitos dos trabalhadores, firmados pela CCT, a Convenção nº 190 da OIT e princípios constitucionais.

Durante o evento, os empregados ainda foram expostos em situação constrangedora e vexatória, inclusive quando foram obrigados a fazer flexões para toda a plateia.

Vale ressaltar que a Caixa é uma empresa pública e deve resguardar os princípios da administração pública, principalmente a legalidade, impessoalidade e eficiência. Sendo assim, o banco não poderia favorecer uns empregados, em detrimento de outros, sem ao mínimo demonstrar critérios objetivos para a seleção. Fonte: Bancários Bahia

6 visualizações

Busca

Outras Notícias

insta.png
INSTAGRAM