Desafios de fazer campanha salarial na pandemia

14.07.2020

 

As negociações salariais têm sido desafiadoras nos últimos anos diante da retração econômica e do ataque aos direitos, intensificado pela reforma trabalhista. Em meio ao caos da pandemia do coronavírus, a dificuldade de manter emprego e renda se torna ainda maior, já que empresas têm realizado demissões em massa e prometem resistir a dar direitos aos que permanecem.


Segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), apenas metade das campanhas terminou com aumento real em 2019. Neste ano, a previsão é de que os trabalhadores terão dificuldades ainda maiores, alimentadas pela pandemia.


Atualmente, as negociações passaram a privilegiar a manutenção de direitos, sem muitos avanços, com a inclusão de cláusulas específicas sobre a Covid-19. Ainda segundo o Dieese, só 42% de um total de 1.800 acordos feitos até o momento tiveram ganho real. Os demais 58% se dividem entre negociações equivalentes e abaixo da inflação.


As categorias seguem negociando em um ambiente de crise, enfrentando o desafio múltiplo de resguardar direitos, defender empregos e preservar o poder de compra. Os trabalhadores do setor público têm um desafio ainda maior, já que enfrentam um governo resistente à negociação e com o viés privatista. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca

© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.