• SEEB Juazeiro

Teletrabalho: fundamental para conter a Covid-19



Embora os bancos ainda não cumpram totalmente todas as regras negociadas para o serviço remoto, o teletrabalho tem sido fundamental para reduzir os riscos de contágio da Covid-19 entre os bancários. Entre aqueles que estão em trabalho remoto, 77% não testaram diagnóstico positivo para a doença e 23% foram contaminados. Entre os que estão nas agências, o percentual de infectados sobe para 38%.

Os dados, da 2ª Pesquisa de Teletrabalho da Categoria Bancária, apresentados na 23ª Conferência Nacional, mostram o acerto das entidades sindicais em reivindicar o teletrabalho logo no início da pandemia, em março de 2020. O levantamento vai além e mostra o que pode ser aperfeiçoado.

Apesar de ter aumentado o percentual de pessoas que têm um escritório em casa, a maior parte ainda trabalha em ambientes adaptados como sala e quartos. Os equipamentos de ergonomia, cadeiras e acústica foram os itens mais mal avaliados pelos bancários na infraestrutura disponível para o teletrabalho.

É de se destacar também o crescimento dos que citaram o pagamento do auxílio financeiro para o teletrabalho, o que reflete o acordo assinado pelas entidades sindicais banco a banco. A comunicação com a empresa segue sendo um problema, principalmente em casos de apoio ou de manutenção. Aumentou o percentual daqueles que dizem que o banco não tem (16,5%) ou não sabem se o banco tem um canal de comunicação próprio para teletrabalho (37,8%).

Outro problema identificado é a jornada. Mais bancários estão percebendo um aumento nas horas trabalhadas em comparação ao trabalho presencial. Para 19,4% dos entrevistados, a jornada aumentou muito ( na primeira pesquisa, em 2020, era de 13,6%). Para outros 24,2%, a jornada aumentou um pouco (em 2020, o percentual era de 22%).

Outro reflexo das discussões em mesa de negociação com os bancos foi que a maioria (67,9%) diz que os bancos têm respeitados os períodos de desconexão (fora do expediente, finais de semana, folgas, feriados e intervalos de almoço). Mas, ainda há uma parcela que sente o contrário e o Comando Nacional vai cobrar das empresas.

Reflexos na saúde Na saúde, os sintomas mais sentidos após o teletrabalho são o medo de ser esquecido, perder oportunidades e ser dispensado. Tem ainda as dores musculares e dificuldade de concentração. Além disso, 60% afirmam que se sentem isolados em alguma medida por conta do teletrabalho.

Mais bancários percebem aumentos consideráveis nas suas contas de consumo enquanto os bancos têm economizado despesas administrativas. Entre os entrevistados, 86,5% apontaram aumento na conta de luz e 73,4% no supermercado. Por outro lado, os 5 maiores bancos do país economizaram R$ 300 milhões no 1º semestre de 2021 com algumas despesas administrativas como água, luz, gás, vigilância, transporte, viagens, conservação de bens, etc.

Mulheres com filhos são as mais afetadas As mulheres com filhos são as mais afetadas com os problemas do teletrabalho, como a sobrecarga. Enquanto 47,2% das mulheres com filhos apontaram dificuldade em conciliar os afazeres domésticos com o trabalho, entre homens sem filhos o percentual foi de 24,6%.

Movimento sindical e direitos A pesquisa registrou um aumento na importância que os bancários atribuem para a atuação do movimento sindical em itens que dizem respeito a compensações econômicas como auxilio do teletrabalho, auxilio alimentação adicional, reembolsos e pagamentos de hora extra.


Fonte: ContrafCut.

5 visualizações

Busca

Outras Notícias