• SEEB Juazeiro

Dia 24 tem mais manifestações contra Bolsonaro


O desgoverno de Bolsonaro está acabando com o país. Na iminência de completar 550 mil mortes pela Covid-19, com outras milhares de pessoas vítimas do desemprego e da miséria, é necessário convocar todos os trabalhadores do Brasil para ir às ruas no dia 24 de julho, e clamar por vacinas, emprego, auxílio emergencial de R$ 600,00 e democracia.

O desastre econômico está imposto na sociedade brasileira, já que no pior momento da pandemia, o governo cortou mais da metade do auxílio emergencial e levou cinco meses para retomar os recursos. Além dos 70 milhões de trabalhadores sem emprego ou na informalidade, sendo equilibristas diante do alto custo de vida e os constantes aumentos no preço do gás de cozinha e da energia elétrica.

Se as denúncias de não responder às ofertas das vacinas já não fossem o bastante, Jair Bolsonaro também está envolvido em esquemas de corrupção, desde quando era deputado federal, até o esquema de inflacionar imunizantes contra o coronavírus. A alcunha de genocida é cabível ao presidente por querer benefício próprio em detrimento das milhares de vidas perdidas na pandemia.

O espírito da próxima, e das outras manifestações realizadas, é o mesmo das Diretas Já, em 1984, pelo fim da ditadura civil-militar. Respeitando todos os protocolos sanitários, trabalhadores do Brasil vão às ruas pedir socorro e o fim da política neofacista que só mata pessoas.

3 visualizações

Busca

Outras Notícias

insta.png
INSTAGRAM