• SEEB Juazeiro

Brasil não deve relaxar medidas contra a Covid-19



O Brasil está longe de chegar ao ponto de a população poder relaxar as medidas de proteção contra a Covid-19. O uso da máscara e de álcool 70% são fundamentais para reduzir a curva de contágio da doença. Por conta do descaso de Jair Bolsonaro, o país demorou em vacinar as pessoas. O negacionismo do governo levou à morte quase 600 mil brasileiros.

Com a demora do início da vacinação, o movimento para reduzir os casos demorou mais e o vírus se espalhou e infectou mais. Hoje, 38,59% da população estão imunizadas com as duas doses ou dose única da vacina. São 82 milhões de pessoas. Enquanto 142.625.292 milhões tomaram a primeira dose, correspondendo a 66,86% do total de brasileiros.

Controlar a pandemia deve demorar, apesar de o ritmo de imunização ter acelerado, com média diária de 1,7 milhão de doses aplicadas. Na prática, significa que as medidas de segurança como higienização das mãos e o uso de máscaras não devem ser esquecidas.

Vacina Especialistas apontam que a vacina é um fator essencial para diminuir a circulação do vírus. Quanto maior o índice da população vacinada, melhor. Foi analisado que a vacinação completa com a Coronavac (75%) e Astrazeneca (90%) apresentaram proteção efetiva contra infecção, hospitalização e número de mortes. Mas, a proteção diminui com o aumento da idade. Por isso, as doses de reforço ou terceira dose estão sendo aplicadas nos idosos e pessoas imunossuprimidas.


Fonte: Bancários Bahia.

1 visualização

Busca

Outras Notícias