Capitalização da Previdência volta a assombrar

30.08.2019

 

Engana-se quem pensa que a capitalização é página virada. O item foi retirado do texto da reforma da Previdência aprovado na Câmara Federal, e que está no Senado. Mas, o modelo volta assombrar e pode voltar em breve ao Congresso Nacional. 


De acordo com especialistas, a capitalização deve ser incluída em um pacote de maldades assim que o governo, economistas e a grande imprensa começarem a propagar que somente a reforma não resolveu a situação do país. 
 

Defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, a capitalização foi adotada no Chile pelo ditador Augusto Pinochet, em 1981. O resultado foi desastroso. Idosos com aposentadorias muito abaixo do salário mínimo. Sem contar nos casos em que o trabalhador nem consegue se aposentar.  
 

A capitalização é uma espécie de poupança. Quem consegue juntar mais tem maior possibilidade de se aposentar com um valor “melhor”. A mulher será ainda mais penalizada, que ganha menos do que o homem e tem menor presença no mercado de trabalho. No Brasil, o envolvimento delas na força de trabalho é de 52,7%. Já entre os homens é de 71,5%.
 

A grande verdade é que quem vai lucrar com a capitalização são os bancos e gestores de investimentos, já que os trabalhadores vão acumular as próprias aposentadorias em contas individuais. Para o cidadão, se o modelo passar, uma coisa é certa: aposentadoria nunca mais. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca

© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.