© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.

Crise faz brasileiro aceitar até função degradante

23.07.2019

 

 

Que falta emprego para o brasileiro todo mundo sabe. Mesmo assim, o governo nada faz para gerar novos postos e reaquecer a economia. Sem ocupação, o cidadão aceita qualquer tipo de trabalho, mesmo em condições degradantes. 


Com o intuito de alertar a sociedade sobre a situação, o Ministério Público do Trabalho vai lançar uma lista com nomes de empresas e pessoas físicas já condenadas na Justiça por trabalho análogo à escravidão nos 24 Tribunais Regionais do Trabalho do país.


A lista suja da SIT (Secretaria de Inspeção do Trabalho), do Ministério da Economia, divulga somente as empresas que foram condenadas administrativamente. Diante do desespero para ganhar qualquer dinheiro para sustentar a família, muita gente acaba não denunciando as práticas exploradoras e gravíssimas.


Segundo o MPT, entre 2003 e 2018, foram resgatados 45.028 trabalhadores em situação análoga à escravidão no Brasil. Muitas vezes, sem carteira assinada, refeição, água potável, roupa de cama nem abrigo. 


Crianças e adolescentes também são vítimas. Entre 2014 e 2018, o MPT recebeu 21.551 denúncias. Foram ajuizadas 968 ações e firmados 5.990 termos de ajustamento de conduta. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca