© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.

Mulheres sofrem com machismo estrutural

12.03.2019

 

Em 27 anos, a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho quase não caiu. Em 2018, a probabilidade de uma mulher trabalhar foi 26% inferior do que a de um homem. Em relação a 1991, a melhoria foi de apenas 1,9%, é o que aponta OIT (Organização Internacional do Trabalho). O Dia Internacional da Mulher chegou com dados preocupantes.

Esse resultado vem após um estudo recente que evidenciou que 70% das mulheres preferem a ter um emprego do que ficar em casa. Contudo, o mercado brasileiro apresenta desvantagem em cargos e áreas, diferenças salariais que chegam a 53%. Quem mais sofre com o fator machismo estrutural são as mulheres com filhos menores de seis anos, com o fenômeno "penalização profissional da maternidade". 

O acesso a cargos de liderança também é dificultado para mulheres que se encaixam nesse perfil. Apenas 25% dos cargos de gerentes com filhos menores de seis anos são ocupados por mulheres. Se não tiverem filhos a proporção aumenta para 31%. Com esse governo a possibilidade de enfrentar a situação de desigualdade de gênero no país ficou mais difícil.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca