© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.

Botijão supera 50% da renda dos mais pobres

01.08.2018

 

A política de preços imposta pela Petrobras favorece somente ao capital estrangeiro, porque os mais pobres pagam um preço que não condiz com a realidade. Em alguns estados o valor do gás de cozinha representa mais de 50% da renda media mensal das famílias mais pobres.

Os rendimentos médios das famílias pertencentes aos 10% mais pobres da população variaram de R$ 117,04 (Maranhão) a R$ 773,97 (Santa Catarina), aponta o IBGE. Considerando que uma família usa, em média, um botijão por mês, e tendo como referencial o preço no último em junho, é possível constatar que o custo do gás de cozinha na renda familiar representou 59% do orçamento entre os 10% mais pobres.

O governo neoliberal mudou desde julho de 2017 a política de preço da Petrobras para se equiparar ao preço do petróleo no mercado internacional. Assim, o valor do botijão de gás residencial de 13 kg, que ficou congelado em R$ 13,51 nas refinarias da Petrobras entre janeiro de 2003 e agosto de 2015, em julho do ano passado subiu para R$ 17,81 e, em dezembro, atingiu R$ 24,38, um aumento de 37%.

As famílias mais pobres, para fugir do preço exorbitante, tem trocado o gás de cozinha por outros insumos, como o álcool ou o fogão a lenha, por exemplo. Uma mudança que tem causado muitos acidentes pelo manuseio de ser de alto risco. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca