Funcionários do Bradesco sob forte pressão

12.03.2018

 

 

O Bradesco barbariza, sem dó. Além de cobrar tarifas absurdas dos clientes, o banco pressiona, impõe metas e sobrecarrega os funcionários. Muitos terminam doentes em decorrência do assédio sofrido diariamente.

 

Nem mesmo o lucro líquido recorde de R$ 19 bilhões no ano passado faz a empresa aliviar. Pelo contrário. Quanto mais ganha, mas o alto escalão quer. Desta forma, a rotina fica cada dia mais puxada.

 

O estresse aumenta com a redução do quadro de pessoal. Em 2017, foram eliminados 9,9 mil postos de trabalho. Ninguém escapa da política perversa e as denúncias chegam dos mais diversos setores, desde caixas a gerentes administrativos. A pressão psicológica é tanta que os caixas são obrigados a realizarem procedimentos que fogem das funções.

 

Na Bahia, o Sindicato dos Bancários tem percorrido as agências para averiguar as denúncias, que não são poucas. A entidade ressalta que, no caso de assédio moral, por se tratar de um diagnóstico mais complicado, com muitas regras, a vítima precisa de elementos. Uma mensagem pelo celular, emails, telefonemas ajudam na identificação do abuso. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Vídeos

Please reload

Busca

© Copyright 2017 - Sindicado dos Bancários de Juazeiro e Região (SEEB)
Rua Sete de Setembro, nº 71 - Centro - Juazeiro/BA - CEP: 48.903-670
Fone: (74) 3611-3312 - E-mail: seebjuazeiroeregiao@yahoo.com.br
Todos os Direitos Reservados.